Onde você está: \ pt-br \ Ambiental, Social e Governança (ESG) \ Informações TCFD

Informações TCFD

A Força-tarefa para Divulgações Financeiras Relacionadas às Mudanças Climáticas ("TCFD") foi criada em 2015 pelo Conselho de Estabilidade Financeira ("FSB") para desenvolver divulgações consistentes de riscos financeiros relacionados ao clima para utilização de empresas, bancos e investidores, no processo de fornecimento de informações aos stakeholders.

A GOL vem aumentando voluntariamente a quantidade de informações relevantes que fornece, organizadas em visão geral, riscos e oportunidades (abaixo), para contribuir com a transição para uma economia mais estável e sustentável.

Índice da Força-Tarefa sobre Divulgações Financeiras Relacionadas ao Clima (TCFD)

Divulgações Recomendadas da TCFD Local de Divulgação no Relatório Anual e de Sustentabilidade de 2019
Governança
Divulgar a governança da organização sobre riscos e oportunidades relacionados ao clima.
  • Descrever como o conselho supervisiona os riscos e oportunidades relacionados ao clima.
  • Descrever o papel da administração na avaliação e gestão de riscos e oportunidades relacionados ao clima.
  • O tema abordado nas páginas 16, 56 e 57
Estratégia
Divulgar os impactos reais e potenciais de riscos e oportunidades relacionados ao clima sobre os negócios, a estratégia e o planejamento financeiro da organização, sempre que essas informações forem relevantes.
  • Descrever os riscos e oportunidades relacionados ao clima que a organização identificou no curto, médio e longo prazos.
  • Descrever os impactos dos riscos e oportunidades relacionados ao clima sobre os negócios, a estratégia e o planejamento financeiro da organização.
  • Descrever a resiliência da estratégia da organização, considerando diferentes.
  • O tema abordado nas páginas 22 e 25
  • O tema abordado nas páginas 22, 25 e 56-61
Gestão de Riscos
Divulgar como a organização identifica,avalia e gerencia os riscos relacionadosao clima.
  • Descrever os processos utilizados pela organização para identificar e avaliar os riscos relacionados ao clima.
  • Descrever os processos utilizados pela organização para gerenciar os riscos relacionados ao clima.
  • Descrever como os processos utilizados para identificar, avaliar e gerenciar os riscos relacionados ao clima são integrados à gestão geral de riscos da organização.
  • O tema abordado nas páginas 22 e 25
Métricas e Metas
Divulgar as métricas e as metas utilizadas para avaliar e gerenciar riscos e oportunidades relevantes relacionados ao clima sempre que essas informações forem importantes.
  • Informar as métricas utilizadas pela organização para avaliar os riscos e oportunidades relacionados ao clima de acordo com sua estratégia e seu processo da gestão de riscos.
  • Informar as emissões de gases de efeito estufa do Escopo 1, do Escopo 2 e, se for o caso, do Escopo 3, e os riscos relacionados a elas.
  • Descrever as metas utilizadas pela organização para gerenciar os riscos e oportunidades relacionados ao clima e o desempenho com relação às metas.
  • O tema abordado nas páginas 71, 72, 73, 74 e 75
  • O tema abordado nas páginas 71, 72, 73, 74 e 75
  • O tema abordado nas páginas 59, 60, 71, 72, 73, 74 e 75

Principais Riscos

Tipo de Risco Definição de Risco Relacionados ao clima Impacto financeiro potencial Prazo Estratégia de Mitigação
Políticos e legais O risco de regulamentações existentes e emergentes destinadas a abordar as mudanças climáticas. Isso pode incluir:
  • Aumento do preço das emissões de GEE;
  • Obrigações de relatórios aprimoradas;
  • Exposição a litígios;
  • Limites nas licenças de operação
Novos impostos sobre carbono poderiam aumentar o preço do combustível de aviação, o que aumentaria nossos custos operacionais e potencialmente reduziria a demanda por viagens. Políticas regionais ou específicas de cada país para redução de emissões de aviação poderiam minar o lugar da CORSIA, como uma abordagem global única para lidar com as emissões da aviação internacional, aumentando nossos custos de conformidade e reportes. Os legisladores Brasileiros podem promulgar leis estabelecendo metas de redução de emissões domésticas para as companhias aéreas, o que poderia limitar nossa capacidade de crescimento. Eles também poderiam exigir novas tecnologias que imporiam custos operacionais e de capital significativos sobre nós para atender a esses requisitos. Médio prazo Estamos desenvolvendo uma estratégia de mudança climática de longo prazo robusta e múltipla com o objetivo de progredir em direção a metas ambiciosas e posicionar nossa empresa como líder regional em sustentabilidade. Monitoramos as regulamentações emergentes para compreender os riscos e oportunidades para nossos negócios. Trabalhamos com os formuladores de políticas para identificar soluções políticas que possam ajudar a indústria da aviação a reduzir suas emissões por meio de novas tecnologias. Também continuamos a defender melhorias no CORSIA como a única abordagem global para lidar com as emissões da aviação internacional, reduzindo o desbalanceamento entre as nações em desenvolvimento e as economias estáveis. Continuamos focados a buscar ganhos de eficiência em nossas operações, buscar oportunidades para empregar Bioquerosene e tecnologias de emissões mais baixas ou zero à medida que se tornem disponíveis em uma base comercialmente razoável.
Tecnologia O risco de tecnologias emergentes visando apoiar a transição global de baixo carbono. Isso pode incluir:
  • Substituição de produtos e serviços existentes por opções de menor emissão
  • Custos iniciais para a transição para tecnologia de menor emissão
O nosso programa de renovação de frota nos trará um frota mais jovem que a atual, no estado da arte do mercado. No entanto, restrições de emissões mais agressivas impostas a curto e médio prazo podem nos obrigar a um novo ciclo de renovação de frota para uma geração mais recente e eficiente de aeronaves. Há o risco de que a tecnologia não se desenvolva o suficiente para nos permitir cumprir nossas ambiciosas metas climáticas. Em andamento, médio prazo A GOL opera uma frota de um único tipo de aeronave, com 127 Boeings, e tem pedidos de 95 aeronaves 737 MAX para substituir seus NGs, programados para entrega de 2022-2032, tornando-se um dos maiores clientes da Boeing. O 737 MAX é fundamental para os planos de expansão da GOL, devido à maior eficiência de combustível e redução das emissões de carbono. A avançada tecnologia utilizada nos motores, asas e superfícies de comando do 737 MAX aumenta a produtividade em 24%, reduz o consumo de combustível em aproximadamente 15% e permite que a aeronave tenha uma autonomia de voo de cerca de 1.000 quilômetros a mais (até 6.500 km) em comparação com a aeronave 737NG atual. Continuaremos a nos envolver com produtores e fabricantes de fuselagem e motores de aeronaves para entender melhor as novas tecnologias de baixo carbono que podem se tornar disponíveis ao longo de nosso horizonte de planejamento
Mercado O risco de mudar a oferta e a demanda à medida que as economias reagem às mudanças climáticas. Isso pode incluir:
  • Mudança de comportamento do cliente
  • Incerteza nos sinais de mercado
  • Aumento do custo das matérias-primas
Os clientes empresariais podem optar por usar alternativas para viagens, como reuniões virtuais e espaços de trabalho. A garantia que usamos para garantir empréstimos de capital - na forma de aeronaves, peças de reposição e slots de aeroportos - pode perder valor à medida que a demanda dos clientes muda e as economias se movem para alternativas de baixo carbono. Um maior desenvolvimento e melhoria nos modais terrestres nos mercados agora servidos por voos de curta distância (exemplo ligação de alta velocidade entre SP e RJ) poderia fornecer aos passageiros alternativas de menor emissão de carbono do que voar conosco. Médio prazo Trabalhamos atualmente para introduzir uma oportunidade de compensação voluntária de carbono para nossos clientes como uma maneira de permitir que eles viajem eficientemente, ao mesmo tempo em que compensem a pegada ambiental de seus voos. Pretendemos integrar ainda mais outras práticas de sustentabilidade nos produtos, serviços e experiências que oferecemos aos nossos clientes, como reciclagem de resíduos de cabine e produtos sustentáveis. Vamos aprofundar nossos relacionamentos com os clientes, fazendo parcerias com uma gama de stakeholders, incluindo governos, fabricantes, fornecedores e clientes, sobre iniciativas de sustentabilidade que têm o potencial de a economia de baixo carbono, como combustíveis de aviação sustentáveis.
Reputação Os riscos de danos ao valor da marca e perda da base de clientes por mudar o sentimento público sobre as mudanças climáticas. Isso pode incluir:
  • Mudanças nas preferências do cliente
  • Estigmatização do setor
  • Aumento da preocupação com as partes interessadas
O crescente reconhecimento da sociedade de que a mudança climática é uma ameaça à nossa subsistência atual pode significar que alguns clientes optam por voar com menos frequência ou voar em uma companhia aérea que eles percebem como mais sustentáveis.
Os investidores podem exigir metas e práticas mais agressivas de sustentabilidade do nosso setor.

Médio prazo Estamos desenvolvendo uma estratégia de mudança climática de longo prazo robusta e múltipla com o objetivo de progredir em direção a metas ambiciosas e posicionar nossa empresa como líder regional em sustentabilidade.
Pretendemos continuar nossos esforços para reduzir as emissões de carbono usando as várias vias disponíveis para nós neste momento - incluindo a consideração de como incluir aeronaves modernas, tecnologia eficiente, práticas operacionais sólidas e combustíveis sustentáveis de aviação- em nossa estratégia de mitigação climática.
Estamos procurando abraçar novas soluções de baixo carbono à medida que elas se tornam disponíveis.
Também planejamos continuar e ampliar a comunicação de nossas práticas de sustentabilidade aos nossos clientes, membros da equipe e fornecedores para que eles entendam as medidas que estamos tomando para reduzir nosso impacto climático.
Eventos climáticos severos O risco de aumentar a gravidade dos eventos climáticos Temperaturas extremamente altas podem exceder a temperatura máxima permitida na qual nossas aeronaves são certificadas pelos reguladores (ANAC) para operar. Aumentos em dias quentes podem interromper nossas operações causando descolamento e flambagem nas pistas e taxiways e outros danos à infraestrutura. Esses danos, por sua vez, podem aumentar os custos operacionais e de reparo dos aeroportos — custos que seriam repassados para nós. Em casos extremos, pode se tornar difícil resfriar aeronaves a uma temperatura aceitável para clientes e tripulantes. Longo prazo Continuaremos monitorando as temperaturas nos aeroportos expostos ao risco de temperatura aguda e trabalharemos com os fabricantes de aeronaves para garantir que nossas aeronaves sejam capazes de operar com segurança sob uma série de condições operacionais. Pretendemos futuramente incorporar os impactos projetados das mudanças climáticas em padrões de projeto para ativos físicos, planos de melhoria de capital, gerenciamento de desastres, resposta a emergências e malha aérea.
Eventos climáticos severos O risco de aumentar a gravidade de eventos climáticos Aumento da incidência e severidade de precipitação torrencial e temporais nos principais Hubs de São Paulo (CGH), Guarulhos (GRU); Rio de Janeiro (GIG) e Brasília (BSB), diminuindo a disponibilidade operacional destes aeroportos "hub" podem limitar estratégias de expansão e conectividade. A diminuição de disponibilidade operacional destes aeroportos pode gerar longas rupturas da malha aérea e excesso de carga na infraestrutura em aeroportos alternativos não planejados para tanto. Médio prazo Para mitigar o impacto das inundações na infraestrutura, planejamos incorporar os impactos projetados de diminuição de disponibilidade operacional em requisitos de projeto para novos ativos físicos, planos de melhoria de capital, gerenciamento de desastres e resposta a emergências, desenvolvimento de planos diretores e sistemas de alerta antecipado.
Eventos climáticos crônicos O risco de longo prazo mudanças nos padrões climáticos Aeroportos Porto Alegre (POA), Florianópolis (FLN), Rio de Janeiro (GIG-SDU), Recife (REC) e Belém (BEL) enfrentarão ameaças críticas caso a temperatura global aumente 2ºC e estarão submersos caso aumente 4ºC. Como as altas temperaturas do ar reduzem a densidade do ar, temperaturas cronicamente altas em alguns dos aeroportos dos nossos hubs podem exigir restringir a disponibilidade de assentos para venda em certos mercados, o uso de aeronaves com maior impulso do motor e horários potencialmente reduzidos. Longo prazo Reconhecemos que não podemos parar o aumento do nível do mar sozinhos, este é um problema Global. Dada a vulnerabilidade desses aeroportos à inundação do aumento do nível do mar e o impacto resultante para a continuidade dos negócios, pretendemos investigar opções para fomentar a mitigação local os impactos do aumento do nível do mar, considerando opções de realocação para áreas mais para o interior. O custo versus benefício das opções disponíveis pode levar a ajustes em nossa malha aérea. Também planejamos nos envolver com os formuladores de políticas para explorar caminhos para uma maior resiliência climática. Investigar novas versões de aeronaves e motores capazes de manter a performance em temperaturas médias mais altas.

Principais Oportunidades

Oportunidade Impacto financeiro potencial Prazo Estratégia de Realização
Eficiência de recursos Reduza os custos de combustível modernizando continuamente nossa frota com aeronaves mais eficientes e melhorias operacionais médio prazo A GOL opera uma frota de um único tipo de aeronave, com 127 Boeings, e tem pedidos de 95 aeronaves 737 MAX para substituir seus NGs, programados para entrega de 2022-2032, tornando-se um dos maiores clientes da Boeing. O 737 MAX é fundamental para os planos de expansão da GOL, devido à maior eficiência de combustível e redução das emissões de carbono. A avançada tecnologia utilizada nos motores, asas e superfícies de comando do 737 MAX aumenta a produtividade em 24%, reduz o consumo de combustível em aproximadamente 15% e permite que a aeronave tenha uma autonomia de voo de cerca de 1.000 quilômetros a mais (até 6.500 km) em comparação com a aeronave 737NG atual. . Continuaremos a nos envolver com produtores e fabricantes de fuselagem e motores de aeronaves para entender melhor as novas tecnologias de baixo carbono que podem se tornar disponíveis ao longo de nosso horizonte de planejamento. Estamos buscando medidas para melhorar a eficiência operacional, incluindo o fortalecimento do nosso gerenciamento e monitoramento da conservação de combustíveis. Também continuaremos a defender com os formuladores de políticas a atualização e desenvolvimento do sistema de controle de tráfego aéreo Brasileiro, que tem o potencial de reduzir as emissões de GEE da aviação
Recursos energéticos Maior foco em ações com combustíveis sustentáveis de aviação (SAF), reduzindo a exposição ao custo da crescente regulação de carbono e diversificando o fornecimento de combustível médio prazo Já temos memorando de intenções com dois potenciais fornecedores de combustíveis sustentáveis de aviação e seguimos investigando novos potenciais fornecedores no Brasil e LAC. A GOL se posiciona como off-taker de sua futura produção, atendidas certas pré-condições estabelecidas. Mantemos nossa estratégia de apoiar o desenvolvimento dos combustíveis sustentáveis de aviação (SAF), fomentando a estruturação de um marco regulatório Brasileiro para a produção destes combustíveis, gerando um ambiente propício para investimentos e sem gerar distorções mercadológicas para nossa indústria. Atingir o primeiro fornecimento contínuo de combustíveis sustentáveis de aviação para nossa operação e atingir o primeiro 1% de fornecimento de combustível. Incentivamos a produção de biomassa sustentável no Brasil para a produção de energia e outros coprodutos através das plataformas de bioquerosene, em especial a Plataforma de Bioquerosene da Zona da Mata em MG, sempre buscando externalidades de inclusão sócio econômica das comunidades envolvidas.
Produtos e Serviços Atrair viajantes com preferência por viagens de baixo carbono Curto prazo Trabalhamos atualmente para introduzir uma oportunidade de compensação voluntária de carbono para nossos clientes como uma maneira de permitir que eles viajem eficientemente, ao mesmo tempo em que compensem a pegada ambiental de seus voos. Pretendemos integrar ainda mais outras práticas de sustentabilidade nos produtos, serviços e experiências que oferecemos aos nossos clientes, como reciclagem de resíduos de cabine e produtos sustentáveis.
Resiliência Médio prazo Planejamos implantar até 2023 um programa de resiliência incluindo:
  • Realização de avaliações de criticidade e resiliência para procedimentos operacionais e infraestrutura existentes
  • Integração dos impactos projetados das mudanças climáticas em planos de continuidade de negócios e planejamento de emergência
  • Desenvolvimento de canais de comunicação eficazes com funcionários do aeroporto e stakeholders da aviação, incluindo prestadores de serviços de navegação aérea, prestadores de serviços off-airport, academia, comunidades e autoridades municipais responsáveis pelo monitoramento meteorológico, análise climática e gerenciamento de desastres

Voltar Voltar ao Topo